ESPERANÇA EM MEIO AO SOFRIMENTO

Nos capítulos 4 e 5 do Evangelho de Marcos, encontramos quatro milagres de Jesus. Esses milagres são uma “avant-première” (primeira apresentação) do Reino de Deus. No primeiro, Jesus acalma uma tempestade; no segundo, Jesus liberta um endemoninhado; no terceiro, Jesus cura uma mulher; e no quarto, Jesus ressuscita a filha de Jairo. Logo, observemos esses dois últimos milagres da perspectiva de Jairo.

Foto: Jan Tinneberg/Unsplash

Jesus é expulso da região dos gerasenos e volta de barco para a outra margem do lago. Ali, ele é acolhido por uma grande multidão. No meio dessa grande multidão estão duas pessoas que possuem muitas diferenças e uma semelhança. Um homem e uma mulher. O homem é identificado como Jairo e a mulher nem sequer é identificada. Jairo é o importante dirigente da sinagoga e a mulher é a insignificante excluída da sinagoga. Jairo é rico e a mulher tornara-se pobre. Jairo se aproxima de Jesus pela frente, de maneira extravagante, e a mulher se aproxima de Jesus por trás, de maneira discreta. Mas tanto Jairo quanto a mulher se aproximam de Jesus em sofrimento profundo e em total desesperança. Jairo tem uma filha única, de doze anos, que está morrendo. A mulher, há doze anos, sofre com uma hemorragia incurável. Assim, Jairo e a mulher têm em Jesus sua única e última esperança. Em situações de sofrimento profundo descobrimos que Jesus é a nossa única e última esperança. Nessas situações, precisamos tomar três atitudes.

A primeira atitude é aproximar-se de Jesus. Jairo aproxima-se, vê Jesus, prostra-se aos seus pés e implora pela cura da sua filha. Jairo é um daqueles que conspiraram contra Jesus para matá-lo. Mas agora, encontra-se em uma situação de sofrimento profundo. Ele nada pode fazer para salvar a vida da sua própria filha. Assim sendo, humilhado, Jairo decide aproximar-se de Jesus. “Minha filha está morrendo! Vem, por favor, e impõe as mãos sobre ela, para que seja curada e que viva”, Jairo pede a Jesus. Jesus ouve aquele pedido desesperado, não diz nada e vai com Jairo.

Assim como Jairo, em meio ao sofrimento, somos desafiados a aproximarmo-nos de Jesus. À medida que nos aproximamos dele, descobrimos que a humilhação do sofrimento pode trazer uma nova perspectiva sobre nós mesmos, sobre as pessoas e sobre a vida. Descobrimos também que o sofrimento profundo pode ser uma excelente oportunidade para nos aproximarmos de Deus. Descobrimos ainda que o silêncio temporário de Deus pode significar sabedoria ao invés de inoperância.

A segunda atitude é esperar por Jesus. Da beira do lago à casa de Jairo, Jesus é acompanhado pela multidão, que o comprime. No meio dessa multidão está uma mulher que sofre de hemorragia. Essa mulher se sente impura e abandonada, tanto por Deus quanto pela sociedade. Ela gasta tudo o que tem com médicos e só piora. Quando ouve falar de Jesus, ela pensa: “Se eu tão somente tocar em seu manto, ficarei curada”. Então, é exatamente isso que ela faz. No meio da multidão, chega por trás, toca no manto de Jesus e fica imediatamente curada. No mesmo instante, Jesus sente que dele sai poder, vira-se para a multidão e pergunta: “Quem tocou em meu manto?”. Os discípulos pensam que essa pergunta é uma piada. Tremendo, a mulher se reaproxima, prostra-se e conta-lhe toda a verdade. Jesus declara: “Filha a sua fé a curou! Vá em paz e fique livre do seu sofrimento”.

Aqui uma pergunta se faz necessária: o que Jairo está fazendo enquanto tudo isso acontece? Ele está esperando por Jesus. Enquanto a mulher curada não cabe em si de alegria, Jairo não cabe em si de aflição. Ele sabe que este “tempo perdido” pode custar a vida da sua filha. Assim como Jairo, em meio ao sofrimento, somos desafiados a esperar por Jesus. À medida que esperamos por ele, descobrimos que não somos os únicos que sofrem neste mundo. Descobrimos também que enquanto esperamos pela ação de Deus em nosso favor, ele permanece conosco. Descobrimos ainda que Deus nunca se atrasa, porém, faz tudo quando quer, como quer e a quem quer.

A terceira atitude é confiar em Jesus. Enquanto Jesus ainda está falando com a mulher, chegam algumas pessoas da casa de Jairo com a notícia que sua filha morreu e que, por isso, ele não precisa mais incomodar o mestre. Jesus, todavia, ignora com­pletamente essa notícia e diz a Jairo: “Não tenha medo; tão somente creia”. De agora em diante, só Pedro, Tiago e João seguem com Jesus. Eles chegam à casa de Jairo e encontram um alvoroço, com gente chorando e se lamentando em alta voz. Ao entrar na casa, Jesus faz uma pergunta provocante e uma afirmação chocante: “Por que todo este alvoroço e lamento? A criança não está morta, mas dorme”. Ouvindo isso, aqueles que choravam começam a rir de Jesus. Jesus os expulsa da casa, toma consigo o pai e a mãe da criança, e os três discípulos que estavam com ele, e entra no lugar onde o corpo da menina fora colocado. Ali, Jesus a toma pela mão e declara: “Talita cumi!”, que significa “menina, eu lhe ordeno, levante-se!”. Ao ouvir essas doces palavras de Jesus, a menina se levanta e anda. Por fim, Jesus ordena a todos que não contem nada a ninguém e manda os pais darem comida à menina.

Assim como Jairo, em meio ao sofrimento, somos desafiados a confiar em Jesus. À medida que con­fiamos nele, descobrimos que enquanto o alívio do nosso sofrimento não chega, o que está ruim pode piorar. Descobrimos também que embora as más notícias afetem as nossas emoções, elas não podem afetar a nossa fé. Descobrimos, ainda, que o sofrimento faz parte da nossa história, contudo jamais terá a palavra final.

Que Deus, por sua graça, renove a nossa esperança em meio ao sofrimento!

Luiz Felipe Xavier

Aliança Bíblica Universitária

A Aliança Bíblica Universitária do Brasil (ABUB) é uma organização missionária evangélica que promove a evangelização, discipulado e treinamento de estudantes universitários, segundo a visão do evangelho integral, por meio de núcleos de estudo bíblico, acampamentos evangelísticos, grupos de oração, cursos de treinamento, entre outras atividades.

Como forma de suporte ao estudante, há uma estrutura de assessoria aos diversos grupos. Os assessores, geralmente, são abeuenses graduados que auxiliam no treinamento local dos estudantes e no discipulado de líderes. A Redê apoia o trabalho de um dos assessores para a região de Minas Gerais, que atua junto às universidades.

Rede Evangélica Nacional de Ação Social

Renas é uma ampla rede de relacionamentos formada por organizações e igrejas evangélicas que atuam na área social, no Brasil, com o propósito de criar oportunidades e espaços de encorajamento, capacitação, articulação, mobilização, troca de experiências, informações, recursos e tecnologia social. Na área da defesa de direitos de crianças e adolescentes, Renas desenvolve o projeto Bola da Rede, voltado para o enfrentamento da exploração sexual de crianças e adolescentes no turismo.

Também promove capacitação de alta qualidade para pastores, líderes e profissionais cristãos que desejam se engajar na expansão do reino de Deus e proclamação do evangelho em suas cidades e comunidades, sendo apoiada pela Redê nessas diversas frentes de atuação.

Asas de Socorro

Organização cristã missionária que atua em logística aérea e humanitária, apoio e desenvolvimento socioambiental, com o propósito de servir a Deus junto a populações de difícil acesso e em situação de risco na Amazônia, por meio de seus serviços, programas e projetos.

Grande parte da força de trabalho de Asas de Socorro é realizada por missionários, voluntários chamados por Deus para servir nas diversas áreas da organização. A Redê apoia um casal de missionários que atua na área de comunicação.

Convenção Batista Mineira

A Convenção Batista Mineira – CBM é uma organização sem fins lucrativos, constituída pelas igrejas batistas de Minas Gerais, atuando na mobilização das igrejas filiadas para o desenvolvimento de atividades missionárias, educacionais e sociais no estado.

A Redê coopera com a CBM no desenvolvimento de suas atividades.

Editora Ultimato (Paralelo 10)

A Editora Ultimato, há 52 anos, tem contribuído para a transformação de vidas e edificação da Igreja por meio da publicação de livros e da revista Ultimato, além de conteúdos digitais em seu portal na internet. Entre essas ações destaca-se o projeto Paralelo 10* que tem como objetivo fortalecer lideranças do Norte e do Nordeste do Brasil para a prática da missão integral e, por meio de um intercâmbio entre as regiões brasileiras, tornar essas igrejas mais conhecidas e reconhecidas.

A Redê tem apoiado esse projeto, patrocinando assinaturas da revista Ultimato para os líderes dessa região.

* O nome Paralelo 10 é uma referência ao paralelo que corta alguns estados do Norte e do Nordeste brasileiros.

Desafios de Minas

Desafios de Minas é um movimento de mobilização e cooperação entre igrejas evangélicas e agências missionárias que visa contribuir para que a boa notícia do evangelho de Jesus Cristo seja levada a comunidades indígenas, quilombolas, ciganas e a municípios com pouca presença evangélica em Minas Gerais, respeitando sua identidade cultural, através do desenvolvimento de parcerias estratégicas, estímulo à unidade da Igreja de Cristo, à promoção de ações voltadas ao ministério integral e ao enriquecimento do conhecimento missiológico, histórico e cultural de Minas.

A Igreja Batista da Redenção integra o grupo de parceiros do Desafios de Minas e apoia as ações desenvolvidas pelo movimento.

Missão Emanuel (Instituto Bíblico Cades-Barnéia)

Desde 1980, a Missão Emanuel atua no Brasil em projetos que têm como alvo atender as necessidades espirituais e físicas de pessoas e comunidades em regiões rurais carentes, mostrando de modo prático o amor de Jesus Cristo aos que sofrem.

Nesse sentido, destaca-se o Instituto Bíblico Cades-Barnéia que oferece capacitação teológica a indígenas para atuarem como pastores e missionários junto às suas etnias. Atualmente o Instituto tem alunos matriculados das etnias Terena, Xavante, Kadiweu, Kaxinawá e Kaiapó.

A Redê é parceira da Missão Emanuel para ajudar na alimentação dos alunos, cuja maioria não tem condições financeiras de pagar o curso, na reforma das salas de aula e no desenvolvimento de projetos de sustentabilidade no Instituto.

Instituto Solidare (Projeto Criativa)

O Instituto Solidare, sediado em Recife, é uma organização do segmento da assistência social, criada por iniciativa da Igreja Batista em Coqueiral e lideranças comunitárias, que atua na capital e regiões do estado de Pernambuco e no semiárido dos estados da Paraíba e do Rio Grande do Norte.

Entre os projetos sociais desenvolvidos pelo Instituto destaca-se o Projeto Criativa, apoiado pela Redê. Esse é um projeto voltado para a formação técnica profissional no segmento da economia criativa, especificamente nas áreas de fotografia e vídeo, para jovens na faixa etária de 18 a 29 anos, oriundos das cidades de Recife, Olinda e Jaboatão dos Guararapes. Ao concluir o processo de formação, todos os beneficiários são encaminhados para a Incubadora Criativa, espaço que favorece a captação de negócios, fomentando a criação de empreendimentos juvenis coletivos ou individuais.

(Junta de Missões Nacionais) Capelania Prisional

O projeto Capelania Prisional tem como foco colaborar para a mudança da realidade das cadeias brasileiras, proclamando a verdadeira esperança através da palavra sobre a luz de Deus. Este Projeto é da Junta de Missões Nacionais – JMN, que, entre outros objetivos, promove a dignidade humana por meio de projetos sociais. Assim, tendo Jesus Cristo e seu ministério como exemplo, e atenta à dinâmica das necessidades da população brasileira, a JMN mantém mais de 400 projetos com 912 missionários que realizam ações evangelísticas e humanitárias, plantam igrejas e transformam vidas por todo território do Brasil.

A Redê apoia o serviço de capelania da JMN nos presídios e cadeias em Minas Gerais.