• Subcribe to Our RSS Feed

A SÍNTESE DO EVANGELHO

mar 20, 2012   //   by Luiz Felipe Xavier   //   Editorial da Semana  //  No Comments

“Deus amou de tal modo o mundo que entregou o seu Filho único, para que todo o que nele crer não morra, mas tenha a vida eterna.” Jo 3.16

Este verso é um dos textos bíblicos mais conhecidos, se não for o mais conhecido de toda a Bíblia. E de fato é um dos mais importantes, pois, sistematiza o centro da mensagem bíblica a respeito do Evangelho, isto é, a excepcional e maravilhosa notícia de que Deus em Cristo age para reconciliar consigo mesmo o mundo!

E a notícia se torna melhor ainda por que o amor redentor e restaurador de Deus envolve a mim e a você também. Mas vamos analisar pelo menos 4 grandes teses contidas em Jo 3.16!

1ª Tese: Deus ama muitíssimo ao mundo!

Deus criou o universo e toda a humanidade com o propósito expresso de ter e manter um relacionamento pessoal e amoroso com toda a criação. Dizer que Deus ama é dizer que Deus quer o bem – muito mais do que uma conotação romântica de amor. O amor divino consiste em atos de bondade, de bênção, que comunicam o bem ao objeto do Seu amor.

O amor de Deus é evidente pelo fato de haver criado um mundo bom e belo, no qual pulsa a vida, repleto de possibilidades magníficas. O Senhor revela seu amor pelo fato de vir, em Cristo, em direção a humanidade – o Criador eterno e justo, ingressando nesse mundo – e oferecer-se a si mesmo para resgatar e renovar tudo que está fora de ordem (apesar da humanidade estar de costas viradas para o Criador).

O amor divinal é tão esplêndido que ainda planeja e projeta o melhor dos mundos no futuro; é um amor que transpassa toda a história: antes da fundação do mundo, na e pela origem do mundo no passado remoto, da eternidade para o presente na pessoa histórica de Jesus, do futuro histórico para toda eternidade pelos bons pensamentos que Deus tem para a sua amada criação restaurada.

2ª Tese: O Princípio da Morte versus o desfrute da Vida Eterna!

Declaramos o absoluto amor divinal, fiel, leal, constante e imutável; eterno amor. Porém, sensorialmente captamos um mundo marcado por fealdade e maldade. Há muita violência, injustiça, desigualdade, corrupção, destruição, desordem, e inúmeras manifestação da anti vida. Segundo Jo 3.16 o mundo e os que dele participam já trilham, já se encontram num caminho cujo o destino é a morte: as forças gravitacionais da morte já atuam sobre o ser humano atraindo cada vez mais para o centro do que se consubstancia como morte. Os habitantes do planeta, infelizmente, se nada for feito, estão destinados à morte: já experimentam os poderes da morte, a operação das forças da morte, em todas as suas malignas dimensões, tanto física, como social, afetiva e espiritual.

Ficamos chocados com tal informação e perguntamos pela causa disso tudo. A razão é a ruptura básica com o Criador, aquele que é a fonte de toda vida. E o agente da ruptura é o pecado, isto é, a rebelião contra Deus mesmo, a independência da fonte da vida. O protótipo de ser humano desconfia e desobedece ao Criador, e esse paradigma é instilado em toda descendência, e cada criatura humana repete os passos e significados daquele que em si representa e contém toda a humanidade. Um espécie de “cromossomo espiritual daninho” infecta toda a humanidade.

O pecado (a rebeldia em relação à lei divinal) faz separação entre nós e nosso Deus Criador, e por conseguinte separação entre nós e a vida eterna e suas benção e significados. E por isso vivenciamos um mundo premido da plenitude de vida. O fato é que a humanidade, e cada pessoa nasce separada de Deus e da vida com qualidade concebida por Ele. A separação de Deus é a confirmação da morte; a reconciliação com Deus é a restauração da vida.

O propósito de Deus foi, é e sempre será comunicar vida, e vida com qualidade eterna e absoluta. Deus não deseja a separação nem a morte do ser humano – muito antes pelo contrário o ideal de relacionamento e compartilhamento de vida se mantém e são eternos (Deus não muda seus objetivos por causa dum fracasso humano!)

3ª Tese: Jesus é o único caminho para Deus e a vida eterna!

O ser humano sente saudade de Deus e sonha com um paraíso. Uns procuram transcender pelo cultivo da excelência moral (o que em si é ótimo, mas não produz reconciliação com Deus), outros se esforçam para granjear méritos religiosos para atrair a divindade, outros ainda concentram sua existência na busca espiritual por toda sorte de caminho religioso. Alguns, até tentam transformar a existência finita em paraíso eterno (antes que a morte chegue…), catalisando toda sorte de prazer e satisfação efêmera. Uma loucura total o que a humanidade faz para reencontrar ao Deus perdido e preencher a ausência de vida que grita do fundo da alma. Toda tentativa humana de reconciliação consistente com o Sagrado, entretanto é vã e fútil. Qual a alternativa?

A única solução é que Deus mesmo venha ao encontro da humanidade, resolva o problema do pecado e da separação do ser humano do Criador, e revele e conceda a vida que tem planejado para todo o mundo. E é isso mesmo que Deus faz: Ele nos dá Jesus, seu único Filho, Deus mesmo encarnado, entre nós, em Cristo, para revelar e promover todo o desígnio salvador de Deus, todo seu plano de resgate e restauração da humanidade e de toda a ordem criada.

Jesus é a solução de Deus para o pecado e separação da humanidade. Deus liquida o pecado por meio do envio de seu Filho, Jesus, que vive uma vida humana plena e morre na cruz para quitar a dívida humana em relação a Deus. A morte de Jesus, que não tinha culpa nem pecado, em favor do homem, pavimenta a reconciliação com Deus. Jesus vence o pecado, destrói os poderes antagônicos que se opõe a Deus e seu projeto de abençoar a humanidade e ressuscita dentre os mortos para nos conferir vida de eternal.

Em Jesus o Evangelho acontece: o pecado, que produz separação e morte é vencido e superado; a vida eterna é manifestada na ressurreição histórica de Cristo, de modo que, o poder para começar a andar em novidade de vida, ainda dentro da velha ordem começa a acontecer, e as pessoas já experimentam na sua existência mortal os poderes da ressurreição.

4ª Tese: Para experimentar a Vida é preciso Crer em Jesus!

É possível começar a desfrutar da vida com qualidade eterna já, agora, hoje mesmo! Para isso é preciso que você confie inteiramente em Jesus, que você se entregue a Ele.

Reconheça a separação do amor de Deus; reconheça que Jesus é o Filho de Deus que entrou na história e morreu e ressuscitou por e para você; invoque-o, clame por Ele, entregue-se a Ele, peça perdão, peça nova vida e confie que Ele o ouve e vai atuar na sua vida.

Não basta conhecer o Evangelho, estar informado do amor de Deus e saber que Jesus morreu por você: para experimentar e provar pessoalmente o poder e a vida de Deus é preciso crer, confiar, exercitar deliberadamente a sua fé na pessoa, na obra, na mensagem de Jesus. O resultado dessa confiança será a transposição do caminho de morte para o caminho de vida; a vida de Deus vai começar a fluir e influir sobre e na sua existência.

Quando você confia em Jesus como seu Salvador e Senhor a reconciliação com Deus acontece, seus pecados são perdoados, as forças da morte (e seus efeitos) começam a ser removidos e a nova vida eternal começa a borbulhar e brotar no seu coração, alma, mente, corpo e relações. É fantástico!

Christian Gillis

Comments are closed.