• Subcribe to Our RSS Feed

TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE

mar 12, 2012   //   by Luiz Felipe Xavier   //   Editorial da Semana  //  No Comments

“Alegrei-me, sobremaneira, no Senhor porque, agora, uma vez mais, renovastes a meu favor o vosso cuidado; o qual também já tínheis antes, mas, vos faltava oportunidade. Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação. Tanto sei estar humilhado com também ser honrado; de tudo e em todas as circunstâncias, já tenho experiência, tanto de fartura como de fome; assim de abundância como de escassez; tudo posso n´Aquele que me fortalece(Fil. 4:10-13).

Que declaração fantástica! A declaração de um homem livre. Livre da mais poderosa divindade que tem dominado as pessoas. Mamon, o deus-dinheiro. A mais sutil prisão. A prisão do ter como afirmação do ser. Esta enganosa prisão ameaça-nos a todos, e, muitos de nós, servos de Jesus Cristo, podemos ficar enredados nas sutilezas dessa prisão. Portanto esta declaração do grande apóstolo, certamente um dos homens mais importantes da história humana, deverá nos nortear em nossa carreira cristã para não ficarmos prisioneiros das garras de Mamon.

Observemos então, cuidadosamente, o texto acima, enviado para a comunidade de discípulos de Jesus da cidade de Filipos. A primeira convertida daquela cidade da Europa foi uma mulher de posses, Lídia, a vendedora de tecidos de púrpura. A igreja, praticamente, teve início em sua casa (Atos 16). Uma mulher possessa de um espírito adivinhador que ficou liberta, também fazia parte da comunidade. E um carcereiro, que foi convertido de madrugada depois de uma ação miraculosa de Deus abrindo as prisões onde Paulo e seus companheiros haviam sido aprisionados. Estes 3 e seus familiares foram os primeiros convertidos da Europa. O que foi que eles viram em Paulo, que mais os impressionou? Certamente a sua liberdade. O carcereiro o viu louvando a Deus depois de ter sido açoitado covardemente. Não havia qualquer murmuração em seu coração, apenas louvor, apesar dos açoites. Lídia não foi constrangida a apoiá-lo financeiramente. O que ela viu foi um homem livre de ansiedades financeiras que trabalhava com as próprias mãos para se sustentar, e que ensinou a eles a simplicidade de viver contente em toda e qualquer situação.

A reação deles diante de uma pessoa livre foi dar-lhe apoio financeiro nunca solicitado. Foi por alegria e gratidão que o fizeram, e foram um dos poucos que participaram efetivamente do sustento daquele primeiro missionário da história da fé cristã (Fil. 4:15).

Hoje este texto tem sido usado por escravos de Mamon afirmando sua pretensa confiança de que “tudo podem” por serem filhos do Rei, e, como filhos do Rei podem reivindicar d´Ele todo tipo de bênção material. Tais crentes afirmam que é maldição ser pobre, sem perceber que um dos homens mais abençoados da história da fé cristã era pobre e que aprendeu a viver contente dentro da pobreza, chegando até a passar fome. Teve ocasiões de fartura, mas nunca foi rico. Portanto, ligado em Cristo tinha poder até para passar fome sem amargura, e, também ter abundância sem sentimento de culpa.

Escrevendo ao seu discípulo mais chegado ele faz um verdadeiro libelo contra aqueles que, privados da verdade, supunham ser a piedade uma fonte de lucro. Vejamos suas próprias palavras nesse ataque aos prisioneiros de Mamon: “De fato, grande fonte de lucro é a piedade com o contentamento. Porque nada temos trazido para o mundo, nem coisa alguma podemos levar dele. Tendo sustento e com que nos vestirmos, estejamos contentes. Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição. Porque o amor do dinheiro é raiz de todos os males; e alguns, nessa cobiça, se desviaram da fé e a si mesmos se atormentaram com muitas dores” (I Tim. 6:6-10).

Sendo assim, precisamos entender com muita clareza que, afirmarmos ter poder naquele que nos fortalece, é o contraste com as palavras de Jesus  em João 15:5 – “Sem mim nada podeis fazer”. Separados da videira os galhos não podem produzir frutos, mas ligados nela podem produzir os frutos da videira. Os escravos de Mamon que, mesmo sendo crentes, permanecem prisioneiros do ter, tomam o “tudo posso naquele que me fortalece” como promessa de que estando ligados a Jesus podem ter tudo o que desejar no coração, especialmente, riquezas. Mas quais são os frutos da Videira Verdadeira? “Amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio” (Gal. 5:22,23). É isto que podemos ter se ligados n´Aquele que nos fortalece.

Portanto querido irmão, não use esta afirmação do apóstolo Paulo como um talismã da sorte para granjear riquezas, pois tal prática não tem nenhuma aprovação das Escrituras. O ensino claro das Escrituras é: “Não te fatigues para seres rico; não apliques nisso a tua inteligência. Porventura, fitarás os olhos naquilo que não é nada? Pois,certamente, a riqueza fará para si asas, como a águia que voa pelos céus” (Prov. 23:4-5).

            No amor de Jesus,

Seu conservo no Reino

Ivênio dos Santos

Comments are closed.